BIP = Bônus de Inclusão Produtiva (novo Auxílio)


Você tem dúvidas sobre o que é o BIP (Bônus da Inclusão Produtiva) ? Bônus BIP ou  Novo Auxílio Emergencial?

A ideia principal é que o auxílio emergencial passe a se chamar “Bônus de Inclusão Produtiva”, já apelidado nos bastidores de “BIP”.

Acompanhe neste artigo todas as orientações sobre o benefício do BIP e saiba o que é necessário para receber os pagamentos.

O que foi o Auxílio Emergencial?

O Auxílio Emergencial foi uma das propostas para minimizar os impactos econômicos para a população de baixa renda e deverá beneficiar 24 milhões de brasileiros durante em 2020, com parcelas de R$ 600, depois prorrogadas no valor de R$ 300.  Mulheres chefes de família recebiam o benefício em dobro.

O QUE SERIA O BIP (Bônus da Inclusão Produtiva)?

O Governo formula o BIP (Bônus de Inclusão Produtiva) , com três ou quatro parcelas de R$ 200 a R$ 300, pagas a mais de 30 milhões de trabalhadores informais.

O benefício deve começar a ser concedido em março, com término em junho.

Como ficaria o Bolsa Família?

O governo quer zerar a fila de espera do programa. Beneficiários continuariam no Bolsa Família e não receberiam o BIP

Exigência para receber o BIP?

Para que o cidadão possa ter direito de receber o novo Bônus auxílio BIP, o cidadão brasileiro precisa aceitar fazer um curso de qualificação profissional. O programa ainda pode ser associado à Carteira Verde e Amarela, que flexibiliza regras trabalhistas e reduz encargos para empresas e trabalhadores de baixa renda.

Para quem não se lembra a Carteira Verde e Amarela é um programa do governo brasileiro destinado a redução de encargos trabalhistas bem como estimular a formalização de pessoas de baixa renda.


Empregadores não pagarão alíquotas do Sistema S, do salário-educação e da contribuição patronal de 20% para a Previdência Social. A alíquota do FGTS passa de 8% para 2%. Em caso de demissão sem justa causa, a multa sobre o Fundo baixa de 40% para 20%.

Estimativas apontam que a folha de pagamento terá uma redução de 34% nos impostos a ela vinculados. De outro lado, em casos de demissão sem justa causa, a perspectiva é que o trabalhador receba até 80% menos de verbas.

Logo, o objetivo do Auxílio BIP é garantir assistência aos cidadãos vulneráveis em um momento de crise e não para ser apenas um mecanismo de distribuição de renda como foi o Auxílio Emergencial em 2020.

Leia mais:
Novo Auxilio Emergencial: consulta, noticias e prorrogação

Prorrogação do Auxílio?

Renovado o auxílio emergencial deve iniciar o calendário de pagamentos em abril e terá novas regras.

O presidente assinou em 18/03/2021 a MP (Medida Provisória) que cria o Novo Auxílio Emergencial, para trabalhadores informais e beneficiários do Bolsa Família.

O auxílio emergencial será pago a partir de abril, em quatro parcelas, com valores de R$ 150, R$ 250 ou R$ 375, dependendo da família.

Só vai receber o novo auxílio quem já recebeu no ano passado e, portanto, já está inscrito nos cadastros públicos usados para a análise dos pedidos.

Quem não faz parte dos cadastros não receberá o benefício, visto que não haverá novos pedidos.

Novo valor de R$ 150 a 375 por 4 meses?

Notícias relatavam que o Ministério da Economia estudava a implementação do novo auxílio emergencial (BIP)  focado somente em que mais necessita entre os trabalhadores informais. A proposta anterior previa que o valor seria de R$ 200 a 300 por três ou até quatro meses. O valor, inclusive, é bastante parecido como valor do teto atual pago pelo programa assistencial Bolsa Família.

Mas, como dito acima, o presidente assinou em 18/03/2021 a MP (Medida Provisória) que EFETIVOU O NOVO VALOR do auxílio já APROVADO e o valor dependerá da condição de cada benefício:

💰 Para quem mora sozinho: R$ 150,00

💰 Famílias com mais de uma pessoa e que não são chefiadas por mulheres: R$ 250,00

💰 Famílias chefiadas por mulheres: R$ 375,00

O governo deve depositar o dinheiro nas contas digitais gratuitas abertas pela Caixa em nome dos beneficiários do auxílio no ano passado.

Ainda não foi divulgado o calendário de pagamento, mas ele deve começar apenas em abril.


Leia mais sobre:


É PRECISO ESTAR NO CadÚNICO PARA RECEBER O AUXÍLIO?

Não é obrigatório ter inscrição no CadÚnico para ter direito a receber o Auxílio Emergencial.

Enviar pelo WhatsApp compartilhe no WhatsApp

O cidadão de baixa renda que não estiver inscrito no Cadastro Único deverá cumprir o limite de renda média de até meio salário mínimo (R$ 522,50) ou de renda familiar mensal total (tudo o que a família recebe) de até três salários mínimos (R$ 3.135,00).

O CadÚnico vai ser útil para ajudar o governo a verificar a renda das famílias que estão inscritas nele. Para as pessoas que não são registradas no Cadastro Único, a verificação será feita por uma autodeclaração em plataforma digital. No entanto, ainda não foi explicado como será feita essa autodeclaração.

COMO SABER SE VOCÊ ESTÁ NO CADASTRO ÚNICO?

Você precisa saber se o seu nome está registrado no Cadastro Único?

A primeira delas é acessando o site Meu CadÚnico. Tudo o que você precisa fazer é informar seu nome completo, data de nascimento, nome da mãe, estado e município.

A mesma consulta também pode ser feita pelo celular, através do aplicativo oficial do CadÚnico, disponível na Play Store e Apple Store.

Se preferir, você também pode consultar por telefone. O número de contato é o 0800 707 2003.

COMO CADASTRAR PARA RECEBER O AUXÍLIO 🗃️?

Quem não está no Cadastro Único poderá utilizar o aplicativo da Caixa Econômica Federal para fazer o cadastro e receber o pagamento do auxílio emergencial. O dispositivo está disponível para as plataformas Android e iOS.

O app poderá ser acessado por celular ou computador, e será destinado principalmente para trabalhadores informais, autônomos e microempreendedores que não estão registrados em nenhuma base de dados do governo federal.

O sistema vai funciona da seguinte forma: o usuário vai informar os dados para fazer o cadastro, e o próprio aplicativo terá condições de informar se a pessoa cumpre as exigências para receber a renda emergencial.

O pagamento poderá ser feito em até 48 horas depois que a Caixa receber os dados dos beneficiários. Quem não tem conta em bancos poderá retirar o benefício em casas lotéricas.


COMO CONSULTAR O AUXÍLIO EMERGENCIAL?

Se seu benefício já foi aprovado, pode consultar maiores detalhes sobre ele na internet! A Caixa Econômica Federal disponibiliza o site CadÚnico Caixa.

Lá você pode consultar seus os pagamentos aprovados sem sair de casa. É só informar seu e-mail e senha registrados no seu CadÚnico neste site > https://consultaauxilio.dataprev.gov.br

 

APLICATIVO AUXÍLIO EMERGENCIAL CAIXA 📱

O governo federal desenvolveu o aplicativo Caixa Auxílio Emergencial para orientar o cidadão que precisa solicitar o auxílio emergencial. Acesse aqui as versões Android e iOS.

O app a principal ferramenta para a pessoa que não está registrada no Cadastro Único e deseja receber o benefício.

Quem for trabalhador informal, microempreendedor individual ou contribuinte individual do INSS deve fazer uso do aplicativo para realizar o pedido do auxílio.

Além de informar os dados pessoais, ao fazer o cadastro o interessado deve fornecer informações como o número de membros da família e como deseja receber o pagamento – em uma conta bancária já existente ou em uma conta nova.

Por fim, a pessoa deve retornar ao aplicativo para consultar a situação do cadastro e verificar se ele foi aprovado.

AUXÍLIO EMERGENCIAL CAIXA TELEFONE ☎️

A Caixa também colocou um telefone à disposição para orientar os cidadãos que desejam pedir o Auxílio Emergencial. O número para entrar em contato é o 111.



COMO ATUALIZAR OS DADOS NO AUXÍLIO EMERGENCIAL

Há um ponto muito importante no Auxílio Emergencial: a atualização do cadastro. Sempre que acontecer alguma mudança na situação da família, é obrigatório informar. Alguns benefícios podem ser suspensos se a atualização não for feita.

Observação: O Minha Casa Minha Vida simplesmente não aprova famílias com o CadÚnico desatualizado. O Bolsa Família também pode ser cortado se a atualização não for feita.


Se não aconteceu nenhuma alteração na família, ainda assim é obrigatório comparecer ao CRAS a cada dois anos. Mesmo que seja para confirmar que nada mudou na casa.